Rap’s que relatam o cotidiano do transporte público

0

Sexta-feira, 18hrs, final de expediente… Depois de uma semana corrida e cansativa você ainda tem que enfrentar uma viagem que mais parece uma maratona de volta para casa.

Seja de ônibus, trem ou metrô, o trabalhador tem que voltar para seu lar em um transporte precário, lotado. Com seu fone de ouvido como melhor amigo e companheiro, torcendo para que seu 3G funcione o suficiente para que dê para ler as notícias do dia no RND. Sim, esse e é o dia-a-dia de muitos que etão lendo este texto.

Alguns raps falam desse cotiano, vamos relembra-los agora.

Rincon Sapiência em “Transporte Público”

Muita gente se identificou com o vídeo clipe de “A Volta Pra Casa” que Rincon lançou no final do ano passado. Mas em “Transporte Público“, de 2013, o Manicongo já abordava esses assuntos.

“Para ter busão, lotação, metrô / Fura fila, teve quem votou, mas não rolou
Povo paga caro, ganha pouco, prejuízô / Uma saída para se locomover é preciso
Ligeiro, sagaz, esperto, cauteloso / Atencioso, me passo por um idoso
Momento precioso, na fiscalização / Nem me viu, saio vazado na multidão”

Savave feat. Ogi em “No Bonde”

Em 2011, Thiago e Nave, o Savave, convocaram Rodrigo Ogi para falar da rotina dos usuários de ônibus coletivo. Ao escutar “No Bonde“, você se vê num filme graças a habilidade de narrativa dos MC’s.

“Vai de pé no busão, que sempre tem confusão / De quem pula a catraca tentando dar o balão / Quem racha 10 no tubão, quem tá lá no fundão / Reclama o tempo todo do salário e do patrão / Na próxima estação, desce 1 e sobem 3 / É onde a situação aperta mais que o fim do mês / Tem gente que vai dormindo, gente com fone no ouvido / Sempre com pressa pra chegar no seu destino”

Marcello Gugu em “Por Linhas”

Produzida por Léo Cunha, cheio de metáforas, do jeito que a gente já está acostumado quando assunto é um som de Marcello Gugu. transformar o metrô de SP em poesia não é tarefa fácil, mas Gugu conseguiu.

“Vagão lotado, sempre o mesmo semblante / Entre os anúncios de revista, curso e desodorante / Olhar distante se perde em meio a multidão / Diamantes raros iguais as minas do Rei Salomão / Canção que o silêncio canta, embala quem vem e quem vai / E nas estações da vida você escolhe quem entra e sai / Estilo Vanilla Sky a realidade distorce o que eu vivo / A viagem é solitária, o transporte é coletivo”

RZO em “O Trem”

Acredito que quando você leu o título desta matéria lembrou deste som. Em 1999, a Rapaziada da Zona Oeste, RZO, lançou “O Trem“, uma música que se tornou um clássico do rap nacional, difícil não não ouvir o som e lembrar do vídeo clipe automaticamente. E quase 20 anos depois do lançamento da música, continua atual. O que mudou no transporte público?

“No trem, meu bom, é assim, é o que é / Então centenas vão sentados e milhares vão em pé / E em todas as estações, ali preste atenção nos PF’s / O trem para o povo entra e sai / Depois disso o trem já se vai / Mas o que é isto? / Esquisito / E várias vezes assisti trabalhador na porta tomando borrachada / Marmitas amassadas, fardas / Isso é lei? Vejam vocês / São cães, só querem humilhar toda vez”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.